O dia 01 de Dezembro é a data em que vários países comemoram o dia da mundial da luta contra Aids. A data foi escolhida no dia 27 de outubro de 1988, na Assembleia Geral da ONU e juntamente com a Organização Mundial de Saúde.

A data também serve relembrar as lutas, assim como todas as conquistas na resposta global ao HIV.

Hoje já é possível viver com o HIV, mas a AIDS ainda é uma realidade.

Atualmente, 75% das pessoas vivem com o vírus e conhecem seu estado sorológico. A grande maioria dessas pessoas que recebem tratamento, 90% se tornam indetectáveis, estado em que a pessoa não transmite o vírus e consegue manter qualidade de vida sem manifestar os sintomas da aids.

No Brasil, 92% das pessoas em tratamento já atingiram esse estado de estarem indetectáveis. Essa conquista, se deve ao fortalecimento das ações do Ministério da Saúde, para ampliar a oferta do melhor tratamento disponível para o HIV. Exemplo disso, é que o país incorporou o dolutegravir como medicamento de primeira linha para tratar os pacientes.

O que é a AIDS?

O HIV é o vírus da imunodeficiência humana, causador da aids que são os sintomas. Os sintomas geralmente são manifestados quando ocorre queda do sistema imunológico. As células mais atingidas são os linfócitos T CD4+.

Ter o HIV não é a mesma coisa que ter aids. Há muitos soropositivos que vivem anos sem apresentar sintomas e sem desenvolver a doença.

Como é transmitida?

  • Sexo vaginal sem camisinha;
  • Sexo anal sem camisinha;
  • Sexo oral sem camisinha;
  • Uso de seringa por mais de uma pessoa;
  • Transfusão de sangue contaminado;
  • Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
  • Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Sintomas

Os primeiros sintomas são muito parecidos com os de uma gripe, como febre e mal-estar. Por isso, a maioria dos casos passa despercebida.

A fase sintomática inicial é caracterizada pela alta redução dos linfócitos T CD4+ (glóbulos brancos do sistema imunológico) que chegam a ficar abaixo de 200 unidades por mm³ de sangue. Em adultos saudáveis, esse valor varia entre 800 a 1.200 unidades. Os sintomas mais comuns nessa fase são: febre, diarreia, suores noturnos e emagrecimento.

Prevenção

Uso do Preservativo ainda é a principal forma de prevenção.

No campo da prevenção, o SUS coloca à disposição da população as estratégias e tecnologias mais avançadas para a prevenção a infecção pelo vírus, como a Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) e a Profilaxia Pós Exposição (PEP); além de ampliar o acesso ao diagnóstico precoce e ações específicas para populações-chaves para resposta ao HIV, como pessoas trans, os gays e homens que fazem sexo com homens, trabalhadores do sexo, população privada de liberdade e usuários de álcool e outras substâncias.

 

Referências

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis. <Disponível em http://www.aids.gov.br/pt-br/noticias/ministerio-da-saude-lanca-campanha-para-comemorar-dia-mundial-de-luta-contra-aids>; < http://www.aids.gov.br/pt-br/publico-geral/o-que-e-hiv> Acesso em 28/11/2020.